terça-feira, 8 de novembro de 2011

O Rapto de Perséfone

Antes de se tornar Perséfone (ou Prosérpina, em romano) a rainha dos mortos, ela se chamava Core, filha de Zeus com Deméter, a deusa do plantio. Esta superprotegia sua filha, que, por ser muito bela, chamava atenção de todos os deuses do Olimpo, inclusive de Hades, que pediu permissão para desposá-la, porém sua mãe jamais permitia que ela tivesse qualquer relacionamento. Mesmo assim, Hades não desistiu da deusa e continuou a persegui-la.

Num belo dia, Core estava no campo colhendo narcisos com suas amigas ninfas, quando Hades, numa de suas raras passagens pela superfície, a avistou. Tendo se apaixonado loucamente por ela, raptou-a, abriu um buraco na terra e a levou para seus domínios, no reino subterrâneo.

Quando Deméter descobriu, entrou em desespero. Disse que se sua filha não voltasse ao seus braços, nunca mais nenhuma planta ou fruto nasceria novamente. Amaldiçoou a terra que imediatamente foi assolada por impiedosa esterilidade. Zeus não podia permitir isso, pois os humanos necessitavam de terra fértil para sobrevivência e prometeu que iria pedir a Hades que devolvesse sua filha. A pedido de Zeus, Hades concordou em devolver sua sobrinha. Porém, antes disso, a fez comer uma semente de romã, e uma vez que você ingere algum alimento no mundo dos mortos, jamais estará livre de lá pemanentemente.

Como a deusa tinha comido os grãos, não podia deixar mais seu marido. Deméter descontrolou-se e disse que, se for assim, deixaria a terra infértil para sempre. Foi então que Zeus fez um acordo com Hades. A pedido do rei dos deuses, Hades permitiu que Core poderia passar nove meses na superfície ao lado de sua mãe, mas depois devia voltar para o mundo subterrâneo, onde permaneceria por três meses ao lado de seu esposo, e então se chamaria Perséfone, "aquela que causa destruição".

A proposta não satisfaz ninguém, mas é aceita por todos. E é por isso que, na primavera e no verão, quando Core está com Deméter, a deusa, feliz, cobre a terra de uma vegetação luxuriante e verde. No outono, quando se aproxima a hora da partida, Deméter fica triste, as folhas secam, nada cresce. Mas quando a filha se transforma na inquietante Perséfone, a deusa, desesperada, amaldiçoa o solo, e nada floresce durante os três meses que os homens chamam de inverno.

Era dessa forma que os gregos, na ausência da ciência, explicavam o fenômeno das estações do ano.

8 comentários:

  1. uau eu sempre pensei que fosse de outro jeito

    ResponderEliminar
  2. éé bem curiosa a história e agora vou ter que representa-lá...estou confiante...nada como um pouco de mentira

    ResponderEliminar
  3. Bem feita essa versão para explicar as 4 estações.

    ResponderEliminar
  4. PARABENS !!!!! AMEI SEU BLOG MUITO INTERESSANTE!MITOLOGIA GREGA, ESCREVA MAIS COISAS! POR FAVOR ,QUERO SABER MAIS SOBRE O ASSUNTO! :) PARABENS!

    ResponderEliminar
  5. DEVERIAM FAZER UM FILME SOBRE HADES E PERSÉFONE,"A PRIMAVERA ADORMECIDA".

    ResponderEliminar
  6. obrigado vc me ajudou muito com um trabalho de arte......

    ResponderEliminar
  7. Obg!pelo blog minha amiga vai fazer a core (peséfone)

    ResponderEliminar

O comentário de vocês é muito importante para o blog, mas por favor evitem escrever muitas palavras abreviadas e cheias de erro, de forma a tornar o texto praticamente ilegível, caso contrário, os comentários serão eliminados. E o façam de preferência de forma não anônima. Obrigado pela compreensão e opinião de vocês. Voltem (e comentem) sempre!