quarta-feira, 27 de abril de 2011

Teseu e o Minotauro


Sabe-se que Teseu era filho de Etra mas o seu pai pode ser Egeu, o rei de Atenas, ou Poseidon, o deus dos mares, pois Etra gozou na mesma noite da companhia de ambos (Egeu não sabia disto porque estava bêbado). No entanto, devido a força e incrível coragem de Teseu, é mais provável que ele, assim como heróis como Hércules e Perseu, seja um semi-deus, ou seja, filho legítimo de Poseidon, embora não se tenha certeza disso.

Antes de conhecer o filho, Egeu teve de voltar a Atenas, pois a situação estava instável devido à ambição dos sobrinhos. Por esse motivo, inclusive, o rei pediu a Etra que, se ela desse à luz um menino, só revelasse ao filho quem era seu pai quando ele tivesse forças para pegar a espada e as sandálias que ele escondera sob uma enorme pedra. Depois disso devia ir em segredo até Atenas, portando a espada de seu pai e calçando suas sandálias, pois os ambiciosos palântidas eram capazes de matá-lo.

Nasceu um menino, que cresceu vigoroso e forte como um herói. Aos dezesseis anos seu vigor físico era tão impressionante que Etra decidiu contar-lhe quem era o pai e o que se esperava dele. Teseu ergueu então a enorme pedra antes movida por Egeu, recuperou a espada e as sandálias do pai, e dirigiu-se para Atenas.

No caminho para Atenas, Teseu deparou-se com Procusto. Este era um bandido que, disfarçado de vendedor, tinha em sua loja uma cama de ferro, que tinha seu exato tamanho, para a qual convidava todos os viajantes a se deitarem. Se eles fossem demasiados altos, ele amputava o excesso de comprimento para ajustá-los à cama, e os que tinham pequena estatura eram esticados até atingirem o comprimento suficiente. Teseu prendeu Procusto em sua própria cama e cortou-lhe a cabeça e os pés, aplicando-lhe o mesmo suplício que infligia aos seus "clientes".

Egeu tinha se aliado, entretanto, a Medéia. Esta, ao ver Teseu reconheceu-o como um perigo pois ameaçava a legitimidade do seu filho, até ali único herdeiro de Egeu. Convenceu então Egeu que Teseu era um espião e planejou envenená-lo, mas Egeu reconheceu seu filho ao ver a espada e as sandálias e ordenou que se festejasse por toda a cidade de Atenas aquele acontecimento.


Alguns anos antes desses acontecimentos narrados, Zeus, o chefe dos deuses, teria se encantado com a beleza de Europa, filha do rei Agenor, e para seduzí-la, transformou-se em um magnífico touro branco. A jovem, que divertia-se na praia com suas amigas, ao ver o animal aproximou-se, acariciou-o e, encantada com a sua docilidade, montou-o. No mesmo instante, o touro disparou em direção ao mar, e atravessa-o nadando, ainda sob a forma do animal, detendo-se apenas na ilha de Creta, onde Zeus deu-se a conhecer amando a jovem. Desta noite de amor, nasceu o futuro rei Minos.

Minos, sucedeu o seu pai e tornou-se rei de Creta, mas antes disso, ele disputou o trono com seus outros dois irmãos que também queriam se tornar rei. Para vencer a disputa, Minos pediu ao Deus do mar Poseidon que se fosse da sua vontade que ele se tornasse o rei, que fizesse um touro surgir do mar, e depois ele sacrificaria o animal em homenagem ao deus. Poseidon aceita o pedido, e um belo touro branco surge das ondas. Ao receber o animal, Minos provou a seus irmãos que era da vontade dos deuses que ele se tornasse o rei e ganhou a disputa, mas ficou tão impressionado com a beleza do touro que resolveu sacrificar um outro em seu lugar, esperando que o deus não se importasse.

Mas, muito bravo com a atitude do rei, Poseidon resolve castigar o mortal. Pede a Afrodite, a Deusa do amor, que fizesse com que a esposa de Minos, Pasífae, se apaixonasse pelo touro.
Enlouquecida de amores, Pasífae pede ajuda a Dédalo, um habilidoso arquiteto, que cria um  jeito de Pasífae se unir ao touro, uma espécie de vaca de madeira que, com Psífae em seu interior, possibilitou tal feito. Nasceu desta união o Minotauro, um ser com corpo de homem e com cabeça e cauda de touro. Desesperado e com muito medo, Minos solicitou a Dédalo, , que construísse um labirinto gigante para prender a criatura. O labirinto foi construído no subsolo do palácio de Minos, na cidade de Cnossos, em Creta.

Teseu, prestes a matar o Minotauro

Parsífae cuidou do Minotauro durante sua infância, porém eventualmente ele cresceu e se tornou feroz; sendo fruto de uma união não-natural, entre homem e animal selvagem, ele não tinha qualquer fonte natural de alimento. Então após vencer e dominar, numa guerra, os atenienses, o rei de Creta ordenou que fossem enviados todo ano sete rapazes e sete moças de Atenas para serem devorados pelo Minotauro.

Cansado de ver pessoas inocentes morrerem, após o terceiro ano de sacrifícios, Teseu resolve apresentar-se como voluntário para ir à Creta matar o Minotauro. Seu pai ficou muito preocupado, mas acabou cedendo, desde que Teseu ao voltar troque as velas negras do navio por uma branca, assim ele saberia logo de longe se seu filho estaria vivo ou não.

Então Teseu parte como se fosse uma das futuras vítimas do Minotauro. Ao chegar na ilha, Ariadne, filha do rei Minos, apaixona-se pelo herói grego e resolve ajudá-lo, entregando-lhe um novelo de lã para que Teseu pudesse marcar o caminho na entrada e não se perder no grandioso e perigoso labirinto. Tomando todo cuidado, Teseu escondeu-se entre as paredes do labirinto e atacou o monstro de surpresa. Usou uma espada mágica, que havia também ganhado de presente de Ariadne, colocando fim àquela terrível criatura. O herói ajudou a salvar outros atenienses que ainda estavam vivos dentro do labirinto. Saíram do local seguindo o caminho deixado pelo fio de Ariadne.

Na volta, Teseu, festejando em seu navio, feliz por ter conseguido matar o Minotauro, se esquece de trocar as velas do navio, e Egeu, que esperava preocupado e ansioso para avistar a vela branca, vê a embarcação surgir ao horizonte com a vela preta e Egeu, certo de que seu filho está morto, decide se matar, atirando-se no mar e afogando-se. Por isso, desde esse tempo o grande mar que banha a grécia é chamado de mar Egeu.

Teseu enfrentando o Minotauro


2 comentários:

  1. Teseu. O herói que mais admiro na Mitologia Grega. Para complementar. No seu caminho de aventuras até Atenas. Ele se deparou com mais 3 famosos sádicos bandidos além de Procusto, Ciron e Sinis, ambos extremamente altos e fortes. O 1o. tinha o costume de obrigar suas vítimas a lavar seus pés, quando as chutava com tanta força que lançavam os coitados ao mar, o 2o. entortava 2 pinheiros, amarrava a vítima e soltava as árvores dilacerando o corpo em um só golpe. Teve um 3o. grandalhao de nome Perifetes que carregava uma clava de bronze e quebrava a cabeça dos viajantes. Bom, diante da perspicácia e força de Teseu, cada assassino foi morto com sua própria técnica de tortura.

    ResponderEliminar
  2. Sem contar outras aventuras desse ousado herói, que junto à Hercules enfrentou as temidas Amazonas, em busca do cinturão de Hipólita, lembrando que a própria rainha não resiste aos encantos de Teseu e acaba tendo um filho com ele, de nome Hipólito. Ele também sequestrou junto com seu grande amigo Piritoo a famosa helena ainda criança para futuramente se casar com a mais bela das mortais, e quando os irmãos da bela vieram em seu resgate, ele já estava em outra aventura com Piritoo no rapto de Perséfone, enfim, muuuuitas aventuras rs...

    ResponderEliminar

O comentário de vocês é muito importante para o blog, mas por favor evitem escrever muitas palavras abreviadas e cheias de erro, de forma a tornar o texto praticamente ilegível, caso contrário, os comentários serão eliminados. E o façam de preferência de forma não anônima. Obrigado pela compreensão e opinião de vocês. Voltem (e comentem) sempre!